domingo, 13 de janeiro de 2013

Clássicos da Literatura!



Olá, queridos leitores! O post de hoje é uma homenagem aos grandes autores e aos livros que marcaram época e continuam, até hoje, como objetos de estudo. Vamos ver aqui alguns dos melhores!
Lembrando que existem muitos clássicos excelentes, mas nem todos cabem neste espaço (Risos).

Dom Quixote de La Mancha - Miguel de Cervantes

Quem nunca ouviu falar dessa história? É linda e também é alvo de pesquisas e estudos, desde a sua criação. É genuinamente escrita e é introspectivo. Com sua ficção, ele nos faz ver o que somos.

A obra traz a história de um ingênuo senhor rural cujo passatempo favorito era a leitura de livros de cavalaria. Na sua obsessão, acreditava literalmente nas aventuras escritas e decide tornar-se um cavaleiro andante. Suas viagens sucedem-se sob a alucinação de que estava vivendo na era da cavalaria; pessoas que encontrava nas estradas pareciam-lhe como cavaleiros em armas, damas em apuros, gigantes e monstros; até moinhos de vento na sua imaginação eram seres vivos. Combatendo as injustiças, o personagem enfrenta situações penosas e ridículas, mantendo, porém, uma figura nobre e patética. Mas, sempre ao seu lado, seu fiel escudeiro Sancho Pança é a voz da razão, sempre tentando trazer Dom Quixote de volta à sanidade.
Sobre o autor: Nasceu em 29 de setembro de 1947, em Madrid. Foi romancista, dramaturgo e poeta castelhano. em 1605 publica a primeira parte de sua principal obra: O engenhoso fidalgo dom Quixote de La Mancha. A segunda parte não aparece até 1615O engenhoso cavaleiro dom Quixote de La Mancha. Entre as duas partes de Dom Quixote, aparecem as Novelas exemplares (1613), um conjunto de doze narrações breves, bem como Viagem de Parnaso (1614). Em 1615 publica Oito comédias e oito entremezes novos nunca antes representados, mas seu drama mais popular hoje, A Numancia, além de O trato de Argel , ficou inédito até ao final do século XVIII.
Miguel de Cervantes morreu em 1616.


Dom Casmurro - Machado de Assis 
Não poderíamos falar de clássicos sem falar de Dom Casmurro, obra tão famosa que rendeu roteiros cinematográficos e até uma minissérie. A história é confusa, a linguagem complicada e é preciso ler com bastante atenção, mas é bastante instigante.
A obra gira em torno de um episódio aparentemente banal - a suspeita de Bentinho de que a esposa Capitu tenha cometido adultério com Escobar, seu melhor amigo. É o próprio Bentinho - o Dom Casmurro -  quem narra a história. De pois de velho, ele decide resgatar sua vida reconstituindo sua antiga casa e relatando suas memórias.

Sobre o autor: É um dos maiores escritores da língua portuguesa. Autor de obras-primas, como "Memórias Póstumas de Brás Cubas" e "Químicas Borba", o escritor teve seus méritos reconhecidos ainda em vida e desfrutou de sua merecida fama. 

Romeu e Julieta - William Shakespeare
Ah! O amor...! Esse livro, escrito pelo grande e admirado - pelo menso por mim - Shakespeare, arrebata 
corações há séculos e conta a história de um amor capaz de vencer até a morte.
Na cidade de Verona, existiam duas famílias muito poderosas que eram rivais, os Montéquio (família de Romeu) e os Capuleto (família de Julieta). Um dia esses dois jovens de famílias rivais se conhecem numa festa e se apaixonam perdidamente. Quando descobriram que eram de famílias mortalmente rivais já era tarde, a paixão já os alucinava. Julieta estava prometida para se casar com outro, por isso com a ajuda de um padre amigo do casal, Julieta tramou uma morte falsa para evitar seu casamento com o rapaz prometido pelo seu pai. Romeu, por sua vez, havia fugido, por ter matado o primo de Julieta (que tinha matado o melhor amigo de dele), e por isso não sabia dos planos da amada. Quando soube da morte de Julieta, Romeu ficou desesperado, foi ver o túmulo da amada, esquecendo que estava sendo procurado. E Romeu, inocentemente, não suportou ver sua amada "morta" e tomou uma dose do veneno mais mortal. Nesse instante Julieta acordou e quando percebeu que seu amado havia tomado um veneno, pediu que ele a beijasse para que ela também morresse do mesmo veneno, mas não adiantou. Vendo Romeu morto, Julieta só desejava a morte. Ela pegou um punhal que estava  no corpo de romeu e cravou em seu ventre.

Sobre o autor: William Shakespeare foi um poeta e dramaturgo inglês, tido como o maior escritor do idioma inglês e o mais influente dramaturgo do mundo. É chamado frequentemente de poeta nacional da Inglaterra e de "Bardo do Avon". Nasceu em 1564, em Stratford-upon-Avon, e morreu em 23 de abril de 1616. 

Incidente em Antares - Érico Veríssimo 
Cativante e instigante, é um livro que prende a atenção do leitor.
É 11 de dezembro de 1963. Greve geral em Antares. O fornecimento de luz é interrompido, os telefones não funcionam mais, os coveiros encostam as pás. Dois dias depois, uma sexta-feira 13, sete pessoas morrem - entre elas d. Quitéria, matriarca da cidadezinha. Insepultos e indignados, os defuntos resolvem agir: querem ser enterrados. Reunidos no coreto, decidem empestear com sua podridão o ar da cidade. Enquanto ninguém os enterra, porém, resolvem acertar as contas com os vivos e passam a bisbilhotar e infernizar a vida dos familiares. 
Sobre o autor: Nasceu em Cruz Alta, em 1905 e morreu Porto Alegre, em 1975. Érico Lopes Veríssimo foi um dos escritores brasileiros mais populares do século XX. 

                                                                          
E aí? Gostaram? Qual seu clássico preferido? Deixe sua opinião!! Beijos e até a próxima! 

2 comentários:

. pamela moreno santiago disse...

Dos livros citados aqui pude ler Dom Quixote em espanhol, na época da faculdade e o maravilhoso Dom Casmurro, na época do ensino médio. Ambos os livros são de uma escrita inenarrável.


Seguindo, segue de volta?
http://odiariodoleitor.blogspot.com.br/

Thaís D. disse...

Sim, são livros realmente muito bons. Vou ser sincera e dizer que Dom Casmurro me deixou um pouco confusa, mas Dom Quixote é maravilhoso!!

Obrigada por seguir, sigo de volta sim!

Volte sempre!!

 
;